Comforme matéria postada nesta quinta-feira, 23, no site jbastosreporter.com, a pré candidata Cordélia Torres foi compelida a devolver R$ 114.577,20 (Cento e quatorze mil, quinhentos e setenta e sete reais) ao Tesouro Nacional. De acordo com os autos ( n° 0306047-56.2018.6.05.0000). A determinação foi proferida no dia 20 de abril de 2020 pelo Vice-Procurador- Geral Eleitoral Renato Grill de Góes. Segundo o ministério público eleitoral há muitas irregularidades na prestação das contas da campanha para deputada estadual em 2018, com fortes indícios de fraude e crime eleitoral.

As denúncias foram feitas por Cláudionor Nunes do Nascimento, no final de 2018, que foram acatadas pela procuradoria geral eleitoral, em Brasília. Cordélia recorreu, o MPE que acatou em parte o recurso,  porém, a defesa não conseguiu apresentar comprovações de gastos de campanha como notas fiscais, recibos, ou seja, uma verdadeira bagunça na prestação das contas da campnha 2018.

Cordélia não se manifestou a respeito.

Entenda o caso

Cordélia doou a própria campanha dinheiro sem comprovar a origem em conta bancária e nem poupança, o que é muito suspeito, além de ser ilegal.

O caso segue para julgamento e o trânsito em julgado pode implicar na inelegibilidade de Cordélia Dapé Torres.­

Fonte agazetabahia