Morador de Trancoso é preso em veleiro com 2 toneladas de cocaína

110

Já está no Recife o veleiro interceptado no litoral brasileiro, carregado com cocaína.

A movimentação na entrada do Porto do Recife foi o desfecho da operação que interceptou o veleiro Guruçá em águas brasileiras, a 270 quilômetros da costa pernambucana.

O comandante do navio-patrulha da Marinha contou que o fator surpresa foi importante na interceptação do veleiro. “A partir do momento que foram acesos os holofotes, em sete minutos a nossa equipe já estava a bordo da embarcação juntamente com a equipe da Polícia Federal. E nós conseguimos ter um sucesso total nesse apresamento, tanto da tripulação do barco, quanto do barco e da sua carga”, afirma comandante James Bessa, comandante do navio-patrulha oceânico Araguari.

Os cinco tripulantes foram presos; todos são brasileiros. Os cinco passaram o dia inteiro sendo interrogados pela delegada Adriana Vasconcelos, da Polícia Federal. Eles vão responder por tráfico internacional de drogas, crime que prevê de três a 15 anos de prisão.

Cinco policiais levaram uma hora para pesar a cocaína em uma balança. Em 70 pacotes estavam duas toneladas e 216,5 quilos da droga, que vai ser incinerada logo que terminarem as investigações.

A operação é resultado de uma parceria inédita entre a Polícia Federal, Marinha e agências internacionais do Reino Unido, Portugal e Estados Unidos. Segundo a Marinha, a operação conjunta reforça a necessidade de fortalecer cada vez mais o sistema de gerenciamento da Amazônia Azul, uma imensidão de 5,7 milhões de quilômetros quadrados de águas brasileiras.

“É um desafio para nossa Marinha do Brasil ter uma atuação realmente efetiva. Isso demanda realmente esse trabalho de inteligência e um trabalho coordenado com outras agências”, destaca o comandante Bessa.